sábado, 6 de julho de 2013

A poesia subiu no queijo

A poesia subiu no queijo
Mandou um beijo
Tomou um banho / passou um talco
Arrasou no palco
Sobreviveu as chuvas do verão...
Aos trancos e barrancos e
depois de alguns tropeços
se prepara para recomeçar
Chegará o dia em que a poesia do mundo
será exaltada, enaltecida
Reconhecida e por todos deveras
Muito amada.
Provendo riquezas culturais
que frutificarão em prosperidade social
Com suas alquimias o poeta atemporal
Transmuta fel em mel

  inéditos /2012                     Teresa Jardim