Glauco Mattozo por Teresa Jardim

Manifesto Obsoleto de Glauco Matoso



MANIFESTO OBSONETO

Isto não é poesia que se escreva

é pornografia tipo Adão e Eva
Essa nunca passa por mais que se atreva
Do que o Adão dá e do que a Eva leva

Quero a poesia muito mais lasciva

Com chulé na língua/ suor na saliva
Porra no pigarro/ Mijo na gengiva

Pinto em ponto morto/ Xota em carne viva

Ranho chico cera/ Era o que faltava
Sebo é na lambida/ Rabo não se lava

Viva a sunga suja/ Fora a meia nova

Pelo pelo na boca/Jiló com uva
Merda na piroca / Cai como uma luva

Cago de pau duro...Nojo? Uma ova!!!



autor:  GLAUCO MATTOSO
(DIREITOS RESERVADOS DO AUTOR)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

point

alívio

apenas uma resposta