tantra poesia

TANTRA- POESIA 




Ele não queria, só a cópula orgástica

De um momento singular e estratégico
Particularizado em seu pecado inocente
Ele não sente como se a coisa física
Transcendesse em algo sublime e eterno
Em energia cósmica sub- dimensional


Estaria logo ligado no plano mais sutil

Onde tudo acontece paralelo e uniforme
Orquestrado e transladado em esperança
Sua paixão animal agora então devorava
           Capim de nuvens e vomitava horizontes           
Com cor e tons de uva, insubstituíveis...


O vento respirava seus aromas etéreos
De finas ervas & sonoros sensoriais . . . 
Arrepios movimentavam em ectoplasmas 
Massa, em si mesmo e em todo seu redor   

Imagem relacionada


02/06/2016_Teresa Jardim
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

point

alívio

apenas uma resposta