Semírames Sé - POETAS DO PELÔ

"NOVOS DESAFIOS" ( do livro "MetaPoemas")

 SEMÍRAMES SÉ

Ele me pediu um abrigo
No exílio de idéias
No quartel general
Da poesia.
Asilo para poetas atemporais
Não pude negar...
Um poeta dormindo
Debaixo da ponte
Depois do poente
Só lhe resta estrelas cadente...
Ele quis chorar!
Mas, como todo poeta
Naquela situação
Material básico do cotidiano
Para fazer poesia.
Viu, também, que não estava sozinho,
Que tudo era passageiro e tinha a poesia
Como companheira predileta.
Pegou fôlego
Pegou a mochila
E caiu na estrada anunciando novos tempos
Novos desafios...
De pavio cheio, encho o peito de ar
E sopra seu destino
Que o caminho está livre
Para catar pedras e construir seu castelo.

                                         Para Thiago Gato Preto                                              (direitos reservados)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

point

alívio

apenas uma resposta