Cláudio Leal Cacau

 POETA DO SAL 
                                             CACAU LEAL
O SAL DA TERRA
(poesia publicada nos livros “Cabo Frio: o vento fala”, 2005 – autor-editor e “O inferno cronológico” – Ed. Oficina, 2011

O que é o sal no corpo das salinas?
O sal é a noite vestida de branco, cheia de encantos                   
O sal é lágrima desta viagem em mim
Através de outros prantos                                                                                         
Poço da alma

Fundo a que se chega somente despido e só

O que é o sal na alma?
O sal é o fundo e a superfície de estar não estando
Cor e luz e corte e planos
O sal é chama invisível como a palavra

Mas o sal, nas salinas, é mais:
Obra de arte geométrica
Concebida pela ação dos homens                                                            
Obra viva, inacabada, faminta…
Porém, o sal, fora das salinas, é mais ainda                               esculturas                                                                                                                                                                                          de MotoiYamamoto,  de sal
Viaja refinado em pequenos sacos
Entra no sangue de todas as classes
Retém a água, aumenta a pressão e mata.

O sal, ó portentoso sol, tem um lado bom?
Oh, sim, lágrimas do coração!
Eu passarei, tu passarás 
Não nos tornaremos o sal da Terra.


por Cláudio Leal Cacau
Poema e imagem, concedidos pelo autor; extraídos do blog do Selmo Vasconcellos.http://www.selmovasconcellos.com.br/colunas/entrevistas/cacau-leal-poeta-do-sal-entrevista-no-579/

_______________________________________________________________________________
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

point

alívio

apenas uma resposta