terça-feira, 15 de setembro de 2015

escancara

ESCANCARA


poema de verdades 
composto de amor
flecha- cupido certeira

poema- torpedo
finaliza o medo
quebra o gelo

imposto pelo desconforto
transgride o silêncio
define o momento

a tempo
um verdadeiro abraço
jogado no espaço

lançado ao mar
ida sem revolta
não dá meia volta

e-s-c-a-n-c-a-r-a
o poema
que fala na cara

14.09.2015
Teresa Jardim