quinta-feira, 16 de julho de 2015

manhosa

POEMA DESSE INSTANTE

Não quero nada que machuque, nada que maltrate.
Nada que suje e, macule a obra da minha vida/ arte.
Sigo em frente apaixonada por tudo/ nada. Estrada.
Vai comigo um coração que se renova a cada verso.
Outra história, vai e não demora. Que fico ansiosa...
Volta com sua resposta. É sim, até bato uma aposta!
Que é de mim que você mais gosta, eu fico dengosa.

16/07/2015 Teresa Jardim