do nada

DO NADA


O POEMA ESTAVA GUARDADO
RESERVADO NUM CANTO
PARA DESPERTÁ-LO ME VALEU
UMA DOSE DE PERSISTÊNCIA

          DO NADA E SOBRE ISSO TUDO
          BROTARAM AS IDÉIAS EM FLOR
          COMO OCORRE NA NATUREZA
          SEM PRÉVIA EXPLICAÇÃO

A FLOR DE LÓTUS
E A FLOR DO CACTO (CACHOS)
A FLOR QUE RACHOU O ASFALTO...
INVADIU O MURO E O JARDIM

           QUEM HAVERIA DE INTERFERIR
           IMPEDIR A  NATUREZA DE ENTRAR
           SABEMOS QUE O CIMENTO SUFOCA
           VAMOS ABRIR JANELAS E PORTAS

 17.09.014  TERESA JARDIM 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

point

alívio

apenas uma resposta