sexta-feira, 22 de março de 2013

RASTROS OU PEGADAS



A Poesia saiu do armário           
Virou do lado do avesso
Ao contrário
E num tropeço...
Voltou ao começo
E no início
Se afastou do precipício
Se alongou na trilha
Não deixou pista
Rastro ou pegadas


Senão essa chama que arde
No peito
Que me consome
Assim sem jeito...
_Um coração desolado
Por ti e pelos seus
Abandonado
_Um coração desarmado
Ferido e inconsolável
Amargurado
              
        29 de junho de 2011